Arquitetura e culto no Cristianismo

O objetivo do curso foi apresentar a relação existente entre culto e arquitetura no seio do Cristianismo e, de modo especial, como essa relação se estabeleceu ao longo dos séculos. Na Judeia romana, por exemplo, os encontros de Jesus com seus discípulos se davam ao ar livre, em locais públicos, ou em reuniões de caráter privado nas residências de amigos ou simpatizantes. No entanto, após sua partida e com os ensinamentos do Mestre considerados heréticos, a comunidade de seus seguidores passa a sofrer perseguição: primeiro pelas autoridades religiosas judaicas, depois pelas autoridades civis e militares romanas. Assim, para conservar a tradição evangélica e para proteger-se de seus opositores, a Igreja precisou encontrar seu próprio caminho: não apenas criando sua própria teologia, como também constituindo seu próprio local de culto. Pretende-se, portanto, demonstrar como isso deu, ou seja, como o Cristianismo, de seita clandestina e perseguida, tornou-se a religião oficial do mesmo Império que quis destruí-lo; e, para isso, tem-se como ponto de partida e de chegada a grandiosidade de sua arquitetura.

Prof. Dr. Jack Brandão